Skip to main content


A 53ª Expoagro foi lançada na manhã desta segunda-feira (29) pelo Sindicato Rural de Cuiabá. Com dez dias de exposição,


Publicação: 14/06/2017 02:48 Crédito da Imagem:


A 53ª Expoagro foi lançada na manhã desta segunda-feira (29) pelo Sindicato Rural de Cuiabá. Com dez dias de exposição, a volta do rodeio, palestras e mais de 300 expositores, a feira pretende bater os R$30 milhões movimentados no último ano. “Nós temos uma boa expectativa, mas como estamos em um ano de grandes dificuldades, adiantar qualquer número seria prematuro da nossa parte. Nos vamos aguardar. Essa vinda de equipamentos para dentro do parque pode proporcionar um grande volume de negócios e a gente espera que com isso a gente tenha uma grande movimentação. Tivemos ano passado 30 milhões comercializados, e esse ano a gente espera superar”, comentou o presidente do Sindicato, Jorge Pires, durante coletiva de imprensa. Em 2016, metade destes R$30 mi foram comercializados somente durante os leilões. Em 2017, a grande novidade é a volta do rodeio, que terá a grande final no sábado (15), e não no domingo, como costumava ser. “No domingo está todo mundo muito cansado. Nós estamos preparando um encerramento religioso no domingo, pra que a gente possa terminar a exposição mais cedo. Então dentro da nossa diretoria, a gente achou que antecipar a final do rodeio pra sábado seria um grande ganho pras pessoas que trabalham”, comentou o presidente. Além das atrações de entretenimento, a Expoagro trará diversas palestras durante o dia. “Outra questão também serão as palestras técnicas que vamos ter durante todos os dias dentro do parque. Durante o dia, para essas palestras, os agricultores, os produtores, e inclusive os estudantes terão acesso ao parque gratuitamente para participar de todo esse conhecimento técnico que vamos trazer em todas as palestras”, completou. Renata Tiveron, diretora da ZF Experience, explicou que neste ano a entrada estará mais barata (de R$10 a no máximo R$50). “Nós nos dedicamos bastante, primeiro a trazer um resgate pra nossa feira, que é trazer a família dos produtores rurais. Pra isso o primeiro mote foram os valores a serem cobrados. Como tivemos uma baixa significativa na bilheteria, nós esperamos uma exposição muito feliz, com muita família dos produtores. A parte artística nós continuamos valorizando o regional do nosso estado, e trazendo também atrações nacionais e mundiais, como é o caso do Alok”, comentou. Para ela, essa mudança no preço se deu principalmente pelo empenho do Sindicato. “O sindicato tem na veia aquilo que o produtor e a comunidade desejam. E pelo fato da realização deste ano voltar a ser do sindicato ficou fácil, porque eles tem a gestão, a voz e a autorização. Então nós fizemos uma proposta de valores que foi aprovada, e a parte de qualidade da mesma forma. Não é porque os valores abaixaram que a qualidade vai abaixar... Ao contrário. Os valores estão baixando e qualidade aumentando”, finalizou.





Fonte: